Brasil está em alerta após casos de nova variante da cepa Ômicron

BQ.1 é muito mais resistente às vacinas, mas não causa infecções mais graves.
Por Redação

Recentemente a Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro, divulgou sobre o surgimento de uma nova variante da cepa Ômicron do coronavírus, chamada de BQ.1. De acordo com uma pesquisa realizada pela Fundação Osvaldo Cruz- Fiocruz, a nova variante é bem mais resistente à proteção das vacinas, mas não causa infecções mais graves.

BQ.1 já havia sido notificada no Amazonas em 20 de outubro, de acordo com a unidade da Fiocruz no estado, o que fortalece a suposição de que ela circula em diferentes locais do país.

No Rio de Janeiro, a paciente diagnosticada com a cepa é uma mulher de 35 anos, moradora da zona norte com o esquema vacinal completo e não aprensentou sintomas graves.

No Piauí, durante uma palestra realizada na Universidade Federal do estado-UFPI, a presidente da Fiocruz, Nísia Trindade de Lima, alertou para a possibilidade de aumento de casos de covid-19 em todo o País, segundo ela "há uma estimativa de aumento de casos nas próximas semanas, mas as vacinas protegem com relação a gravidade da doença”.

Atualmente a cepa circula em países da Europa, como Alemanha e França, também nos Estados Unidos e em países da Ásia. 

Sobre os sintomas, não há mudanças em relação às outras variantes do vírus, a maioria dos pacientes apresenta: dor de cabeça, tosse, febre, dor de garganta, cansaço, perda de olfato e paladar, o que a difere de outras cepas, é um escape muito maior da proteção das vacinas.

Diante da expectativa de aumento de casos da doença para os próximos dias, a recomendação de especialistas é que, o calendário vacinal esteja completo e atualizado, incluindo as duas doses de reforço.

Saiba mais sobre: